Categoria: Sem categoria (page 1 of 14)

Nova etapa no restauro do Laçador permite identificar melhor fissuras na Estátua

O processo de limpeza deve retirar toda a pátina decorrente da ação dos poluentes sob o Laçador e devolver ainda a cor original ao Monumento 

A restauração do Monumento do Laçador, uma iniciativa do Projeto Construção Cultural – Resgate do Patrimônio Histórico, entra em uma nova fase nesta semana. Depois de retirado o material que estava na base da Estátua e uma espécie de janela ser aberta nas costas do Laçador, ele deve passar agora por uma fase de limpeza fina, uma etapa importante no processo da restauração. Essa limpeza ocorre através de um processo de micro jateamento com granalhas de endocarpo, material que irá remover qualquer resíduo das argamassas de cimento evitando problemas futuros. No decorrer do próximo mês a estátua será erguida e receberá o jateamento em sua totalidade.

Além disso, o reforço estrutural em aço inoxidável deve ser colocado no interior do Laçador até o final do mês de outubro. Já prevista no projeto, a estrutura deve chegar até altura dos ombros do Monumento, um pouco abaixo do pescoço. Ela trará mais segurança à Estátua devido à exposição ao tempo e condições climáticas.

O valor total do projeto é de R$900 mil. Desse valor, R$810 mil foram viabilizados pelo Sindicato dos Indústrias da Construção Civil no Estado do Rio Grande do Sul (Sinduscon-RS) e pela Associação Sul Riograndense da Construção Civil, através do programa Pró Cultura – Lei de Incentivo à Cultura, do Governo do Estado do Rio Grande do Sul, e R$90 mil através de aporte financeiro da Prefeitura de Porto Alegre.

A Gerdau e a Sulgás são as patrocinadoras do Projeto, que conta ainda com o apoio da JOG Andaimes, da Elevato, do Ministério Público do Rio Grande do Sul e da Phorbis Empreendimentos Imobiliários. A Estátua passa por reparos desde o dia 28 de setembro, quando foi retirada do Sítio do Laçador. A previsão é que ela esteja de volta à Avenida dos Estados, na entrada na Capital Gaúcha, até o final do ano.

 

Sítio do Laçador recebe imagem da Estátua em tamanho real

   

Crédito: Suzana Hartz

Reprodução fotográfica em banner foi instalada no local do Laçador enquanto a Estátua passa por reparos 

Monumento símbolo da cultura gaúcha no Estado, o Laçador passa por uma revitalização em sua estrutura. Desde 27 de setembro, a obra deixou o Sítio do Laçador, em Porto Alegre, e foi transferida para um ateliê próximo para reparos. Para que a entrada não fique sem o tradicional gaúcho pilchado, uma reprodução fotográfica em banner em tamanho real foi instalada no local.

A estrutura, com uma imagem ilustrada do laçador de corpo inteiro, é impressa em material reprint, resistente à água e à luz do sol. A ideia é fazer com que quem olhe de longe, tenha a impressão de que o Monumento continua no local. Com altura de 4,4 metros, o banner chegou ao Sítio do Laçador na última terça-feira (06) e deve permanecer durante todo o período em que a Estátua estiver fora, cerca de 90 dias. A foto do monumento é de Gilberto Perin, o design gráfico ficou a cargo de Suzana Hartz e os andaimes e produção do espaço com a JOG.

A principal estratégia é fortalecer a manutenção da identidade visual do monumento. Visando o objetivo de não perder a simbologia que o monumento traz para os gaúchos e o ponto de turismo para a cidade, a própria estrutura de andaimes que serviu para a retirada e posteriormente para a recolocação do monumento, possibilitou que o Laçador, se mantenha presente durante esse tempo em que está em processo de restauração, através de uma solução tecnológica muito executada na Europa, que são as telas de reprodução que possibilitam que o monumento seja visto e admirado em escala real e que mantenha sua presença no local.

Todo o planejamento do Laçador, desde a vistoria até a manutenção, faz parte do  Projeto Construção Cultural – Resgate do Patrimônio Histórico, promovido pelo Sindicato dos Indústrias da Construção Civil no Estado do Rio Grande do Sul (Sinduscon-RS) e pela Associação Sul Riograndense da Construção Civil. A revitalização foi viabilizada através da Prefeitura de Porto Alegre, Lei de Incentivo à Cultura do Governo do Estado do Rio Grande do Sul e conta com a Gerdau e a Sulgás como patrocinadores. Também apostaram na relevância histórica do Laçador a Elevato, a JOG Andaimes e o Ministério Público do Estado, que entram como apoiadores do projeto.

Estátua do Laçador, monumento símbolo da cultura gaúcha será removido para reparos estruturais

Uma das maiores operações logísticas está sendo preparada para a retirada da Estátua do Laçador. Um grupo de batedores vai acompanhar todo o trajeto até o galpão onde ele será restaurado

 

Foto: Gilberto Perin

Acontece nesta terça-feira, dia 28 de setembro, às 16h, a retirada da Estátua do Laçador. O monumento, que está na Avenida dos Estados, em Porto Alegre, desde 2007, vai passar por reparos em sua estrutura. A necessidade de restauração foi identificada desde 2017, quando uma vistoria feita através do Projeto Construção Cultural – Resgate do Patrimônio Histórico, constatou fissuras e rachaduras no monumento. Esses danos, caso não sejam reparados a tempo, podem trazer prejuízos permanentes à Estátua. O restauro deve durar cerca de 90 dias e estar de volta ao Sítio do Laçador até o final do ano.

A retirada será feita através de um guindaste e o Monumento será transportado deitado em um caminhão, dentro de uma gaiola especial projetada para o deslocamento do Laçador e que será instalada no mesmo dia pela manhã. Serão poucos quilômetros de viagem, já que o galpão que abrigará a Estátua fica próximo ao Sítio do Laçador. O Movimento Tradicionalista Gaúcho disponibilizou 12 cavaleiros para acompanharem o trajeto que o Laçador irá percorrer até o galpão.

O Projeto de revitalização é promovido pelo Sindicato dos Indústrias da Construção Civil no Estado do Rio Grande do Sul (Sinduscon-RS) e pela Associação Sul Riograndense da Construção Civil. O coordenador do projeto, Zalmir Chwartzmann, reforça a importância da do restauro: “Será um trabalho minucioso, que passará por várias etapas. Entre elas está a colocação de uma estrutura de aço dentro da obra, que deve dar sustentação ao Laçador. De qualquer forma, assim que ele for aberto teremos uma dimensão melhor dos danos a serem reparados”, destaca. Em caso de chuva, a remoção será adiada.

O Projeto Construção Cultural foi viabilizado através da Prefeitura de Porto Alegre, Lei de Incentivo à Cultura do Governo do Estado do Rio Grande do Sul e conta com a Gerdau e a Sulgás como patrocinadores, Elevato, Ministério Público do Estado e JOG Andaimes como apoiadores.

Estátua do Laçador será removida nesta terça-feira para início da restauração

Foto: Mateus Raugust/PMPA

Com a presença do prefeito Sebastião Melo, foi anunciado o início das obras de restauro do monumento O Laçador em evento nesta segunda-feira, 27, no Salão Nobre do Paço Municipal. A ação é uma iniciativa da Prefeitura de Porto Alegre, por meio da Secretaria Municipal da Cultura, Sindicato das Indústrias da Construção Civil no Estado do Rio Grande do Sul (Sinduscon-RS) e Associação Sul Riograndense da Construção Civil. A estátua será removida nesta terça-feira, 28, às 16h, do Sítio do Laçador e transportada para um hangar que fica próximo ao Aeroporto Internacional Salgado Filho. Se chover, a ação será remarcada.

O prefeito agradeceu o empenho de todos na revitalização do monumento e reiterou a importância de se conservar o patrimônio. “Nossos monumentos têm sido depredados, roubados, e essa é a cidade que nós não queremos”, afirmou Melo.

O secretário municipal da Cultura, Gunter Axt, destacou a importância da obra para os gaúchos. “Quando falamos do Laçador estamos falando da alma de Porto Alegre e também da alma do Rio Grande. Teremos em três meses um Laçador restaurado e preservado”, disse Axt.

Os R$ 810 mil investidos foram captados junto à iniciativa privada por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Governo do Estado. Realizada pelo Sinduscon-RS, pela Associação Sul Riograndense da Construção Civil e prefeitura, a revitalização conta, ainda, com o patrocínio da Gerdau e Sulgás, e apoio da JOG Andaimes, Elevato e Ministério Público do Rio Grande do Sul.

Patrimônio – Esculpido em bronze, o monumento tem 4,45 metros de altura, pesa 3,8 toneladas e possui um pedestal de granito trapezoidal de 2,10 metros de altura. Construído em 1958, o monumento deixará o local onde está desde 2007.

Concebida pelo artista plástico Antônio Caringi, a escultura foi tombada como patrimônio histórico de Porto Alegre em 2001. Desde 2016 foram constatadas fissuras e rachaduras no monumento, que, se não forem consertadas, podem gerar danos permanentes. Há cerca de quatro anos, uma inspeção do restaurador francês Antoine Amarger e a engenheira metalúrgica Virgínia Costa identificou a necessidade da restauração.

Também compareceram à cerimônia o adjunto da pasta Clóvis André, o presidente do Sinduscon, Aquiles Dal Molin, o coordenador do Projeto Construção Cultural, Resgate do Patrimônio Histórico, Zalmir Chwartzmann, a secretária adjunta da Transparência e Controladoria, Luciane Rache, e André Venzon, diretor do Museu de Arte Contemporânea (MAC) e do Instituto Estadual de Artes Visuais (IEAVI). A neta de Antônio Caringi, Antonela Caringi, e a filha de Paixão Côrtes, Ana Paixão Côrtes, também participaram do evento. (Fonte: PMPA)

Sinduscon-RS e Prefeitura de Porto Alegre anunciam data para início da restauração do Monumento ao Laçador

Retirada da estátua está prevista para o dia 27 de setembro

O Sindicato das Indústrias da Construção Civil no Estado do Rio Grande do Sul (Sinduscon-RS) e a Prefeitura de Porto Alegre anunciam o dia 27 de setembro como data prevista para o início das obras de restauração do Laçador, símbolo da cultura gaúcha no Rio Grande do Sul. Na data prevista acontecerá a retirada da Estátua do Sítio do Laçador, em Porto Alegre, onde está instalada desde 2007. O preparo para este início das obras já deverá ter início na próxima terça-feira, 21 de setembro.

Desde 2016 foram constatadas fissuras e rachaduras no monumento, que, caso não sejam consertadas, podem gerar danos permanentes. A escultura, feita por Antônio Caringi, foi tombada como patrimônio histórico de Porto Alegre em 2001. “É obrigação do nosso projeto trabalhar com coisas importantes para Porto Alegre. O Laçador marca a memória e a história da cidade. Nós entendemos os monumentos e espaços históricos como de grande importância e relevância para a cultura gaúcha”, explica o coordenador do Projeto Construção Cultural – Resgate do Patrimônio Histórico, Zalmir Chwartzmann.

O projeto é realizado pelo Sinduscon-RS, pela Associação Sul Riograndense da Construção Civil e conta com a Prefeitura da Capital Gaúcha como co-realizadora. O custo total de realização da obra é de R$ 900 mil, sendo R$ 810 mil captados através da Lei de Incentivo à Cultura, do Governo do Estado. A revitalização conta, ainda, com o patrocínio da Gerdau e Sulgás, e apoio da JOG Andaimes, Elevato e Ministério Público do Rio Grande do Sul. (Foto: Gilberto Perin)

Sinduscon-RS dá início à restauração do Laçador

A expectativa é de que o projeto avance ainda em setembro

Um diagnóstico feito na Estátua do Laçador, símbolo da cultura gaúcha no Estado, identificou fissuras, rachaduras e infiltrações espalhadas por toda a extensão do monumento. A restauração, prevista para começar ainda em setembro, deve durar cerca de 90 dias. Essa revitalização faz parte do Projeto Construção Cultural – Resgate do Patrimônio Histórico, empreendido pelo Sindicato das Indústrias da Construção Civil no Estado do Rio Grande do Sul (Sinduscon-RS) e pela Associação Sul Riograndense da Construção Civil e conta com a correalização da Prefeitura Municipal de Porto Alegre.

O custo total da restauração é de R$ 900 mil. Desse valor, R$810 mil foram viabilizados pelo Sindicato através do programa Pró Cultura – Lei de Incentivo à Cultura, do Governo do Estado do Rio Grande do Sul, e R$ 90 mil devem vir de um aporte financeiro da Prefeitura de Porto Alegre.
O início da obra está condicionado à liberação desse valor por parte do executivo municipal, que está em trâmites finais de negociação.

A vistoria aconteceu entre os anos de 2016 e 2017, e foi feita pela engenheira metalúrgica Virgínia Costa e pelo restaurador de obras de arte francês Antoine Amarger. Na ocasião, foram constatadas irregularidades que, caso não sejam reparadas, podem trazer danos permanentes ao monumento. Para o coordenador do Projeto Construção Cultural, Zalmir Chwartzmann, a restauração é necessária inclusive para manter a memória da capital. “É obrigação do nosso projeto trabalhar com coisas importantes para Porto Alegre. O Laçador marca a memória e a história da cidade.
Nós entendemos os monumentos e espaços históricos como de grande importância e relevância para a cultura gaúcha”, explicou Zalmir.

A Estátua do Laçador é de autoria do escultor Antônio Caringi e foi tombada como patrimônio histórico de Porto Alegre em 2001. Como modelo para a obra, Caringi contou com o folclorista Paixão Côrtes, fundador do Movimento Tradicionalista Gaúcho. O monumento é feito de bronze, tem 4,45 metros de altura e pesa 3,8 toneladas. O projeto de revitalização conta ainda com o patrocínio da Gerdau e Sulgás, e apoio da JOG Andaimes, Elevato e Ministério Público do Rio Grande do Sul.

Seminário de Entrega Oficial dos Trabalhos de Revitalização do Recanto do Chafariz Imperial

No dia 3 de dezembro, o Sindicato das Indústrias da Construção Civil (Sinduscon-RS), em parceria com a Associação Sul Riograndense da Construção Civil e a Prefeitura de Porto Alegre, realiza em sua sede o seminário de Entrega Oficial dos Trabalhos de Revitalização do Recanto do Chafariz Imperial. O evento acontecerá das 14h às 16h30min. A entrada é franca e o estacionamento gratuito. Confirme presença pelo telefone (51) 3021-3440 ou pelo e-mail recepcao@sinduscon-rs.com.br
A iniciativa tem verba incentivada pelo Governo do Estado do RS, através do programa Pró Cultura – Lei de Incentivo à Cultura (LIC) e faz parte da plataforma Resgate do Patrimônio Histórico do Projeto Construção Cultural, uma iniciativa do Sinduscon-RS.
São patrocinadores da ação do Recanto do Chafariz Imperial a Cyrela Goldsztein, Gerdau, Killing e Melnick Even.

Palestras
14h15min – O Parque Farroupilha – Arquiteta e Urbanista, Ana Maria Germani
14h45min – Jardins Históricos – Engenheiro Agrônomo, Sérgio Luiz Valentim Tomasini
15h30min – Chafariz Imperial. O último de uma era. – Historiador de Arte, José Francisco Alves
16h – Revitalização do Recanto do Chafariz Imperial – Arquiteta Restauradora, Verônica Di Benedetti

Serviço:
Seminário de Entrega Oficial dos Trabalhos de Revitalização do Recanto do Chafariz Imperial
3 de dezembro, das 14h às 16h30min – Teatro do Sinduscon-RS – Av. Augusto Meyer, 146 – Higienópolis

Entrada Franca – Estacionamento gratuito ao lado da sede do Sinduscon-RS
Confirmação de presença: (51) 3021.3440/recepcao@sinduscon-rs.com.br

 

 

« Older posts

© 2021 Sinduscon – RS

Theme by Anders NorenUp ↑