Entrega da Etapa 1 da ET Guarani em Capão da Canoa possibilita a liberação de alvarás de construção

O vice-presidente e Coordenador do Escritório Regional do Litoral Norte do Sinduscon-RS, Alfredo Pezzi, participou no dia 22 de janeiro, em Capão da Canoa, de reunião conduzida pela prefeita em exercício, Juliana Martin, que tratou sobre o embargo de novas construções no município por decisão judicial de 2018. Além de empresários da construção civil da região, o evento contou com a participação do governador em exercício, Ranolfo Vieira Júnior, o secretário do Meio Ambiente e Infraestrutura, Artur Lemos, e o diretor de Expansão  da Corsan, Julio Eloi Hofer.

Na oportunidade, a Corsan apresentou aos presentes o andamento das obras na nova Estação de Tratamento do Esgoto – ETE Guarani, em especial a conclusão da primeira etapa da obra com o término de 4 bacias de infiltração em uma área de 9,04 hectares.

Com a entrega da primeira etapa da nova ETE Guarani, o município passa a contar com mais 128 l/s em seu sistema de coleta e tratamento de esgoto .

“O segundo maior polo construtivo do Estado está aqui no litotal norte, especialmente em Capão da Canoa, por isso não há dúvidas de que o desenvolvimento da região passa pela liberação destas construções embargadas. Com entrega das bacias de infiltração, foi concluída a primeira etapa desta importante obra que representa uma solução para que o município destrave essa questão”, afirmou Ranolfo.

O secretário Artur Lemos destacou o impacto da obra para uma solução em relação ao setor da construção e para a qualidade de vida dos moradores da região. “Viemos aqui trazer os resultados. Mostramos que não houve mais extravasamento, mesmo na alta temporada, o que autoriza a prefeitura municipal a buscar a liberação dos alvarás de construção pelo poder judiciário”, disse.

Sobre a ETE Guarani

A primeira etapa do novo sistema de tratamento de esgoto tem capacidade de atender 80 mil pessoas, representando um investimento de R$ 40.130.471.

Inclui dois módulos de tratamento já concluídos, com vazão de 128 litros por segundo. Há também quatro bacias de infiltração, em 9,08 hectares de área filtrante, cujas obras foram finalizadas em dezembro passado e já se encontram totalmente operacionais.

O projeto original previa a funcionalidade em uma única etapa, ao término de quatro módulos de tratamento e oito bacias de infiltração. No entanto, buscando a maximização do investimento e a agilidade no atendimento das demandas, a Corsan ajustou o plano de obras para permitir a entrada em operação antes do cronograma inicialmente previsto. Assim, o novo sistema conta com os dois primeiros módulos e as quatro bacias de infiltração. Além de antecipar a funcionalidade do sistema, a iniciativa permitiu o atendimento de compromissos ambientais e estruturais do município.

A segunda etapa está em andamento. Os dois módulos adicionais encontram-se em fase adiantada de construção, e as novas bacias de infiltração estão na fase de assinatura de contrato. A conclusão da segunda etapa está estimada para o primeiro semestre de 2022.

 

Leia Também

Deixe seu comentário