Pandemia e estiagem causam grandes prejuízos a economia do RS

Para 2021, a produção agrícola deve apresentar importante recuperação

Em um ano afetado pela pandemia do novo coronavírus e pela estiagem, a economia do Rio Grande do Sul registrou queda de 7% em 2020. No entanto, estimativas projetam que se não houvesse o impacto da falta de chuva na agropecuária e na atividade de eletricidade e gás, água, esgoto e limpeza urbana – as mais afetadas pelo fenômeno climático – e caso as duas áreas tivessem crescido à mesma taxa do Brasil, o Produto Interno Bruto (PIB) do Estado teria apresentado uma queda aproximada de 4,3%, similar ao número do país.

Ainda que o quarto trimestre tenha consolidado uma recuperação em relação ao trimestre anterior (+2,7%), o resultado anual do PIB somou R$ 473,419 bilhões (6,4% do PIB nacional) e foi fortemente afetado pelo desempenho negativo da Agropecuária, que caiu 29,6% no ano.

A queda da construção no RS em 2020 foi de -8,1 e no Brasil foi -7,0. Os números do Estado, a maior queda da série histórica, ficaram abaixo dos registrados no Brasil, que encerrou 2020 com encolhimento de 4,1% no PIB.

O resultado do acumulado do ano e do quarto trimestre de 2020 foi divulgado no dia 17 de março pelo Departamento de Economia e Estatística, vinculado à Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão (DEE/SPGG), em live com a participação do titular da pasta, Claudio Gastal.

Perspectivas

Para 2021, a produção agrícola deve apresentar importante recuperação, principalmente em função do aumento da quantidade produzida de soja. “Por outro lado, a retomada de ações mais restritivas para o combate à pandemia deve impactar negativamente os números já no primeiro trimestre”, destaca o pesquisador do DEE Martinho Lazzari. Saiba mais!

Leia Também

Deixe seu comentário