A importância da construção civil na retomada da economia foi tema central no lançamento da segunda temporada do Sinduscon-RS Lives

Indicadores nacionais e regionais sinalizam recuperação rápida da construção civil no Brasil e RS em 2020 e crescimento do setor em 2021. O ritmo de reação da atividade fortalece o entendimento, por parte inclusive dos governantes,  de que o setor é essencial na recuperação da economia no País. Porém, grandes desafios precisam ser superados para não frear este desempenho, entre eles dirigentes do setor destacam o aumento de preço e escassez de materiais.  Esta foi a principal conclusão do lançamento da segunda temporada doo Sinduscon-RS Lives, realizada ontem (23/09). O presidente do Sinduscon-RS, Aquiles Dal Molin Junior, recebeu o presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), José Carlos Martins, e a economista da CBIC, Ieda Vasconcelos, como debatedores no tema “Economia Nacional e Construção Civil: desempenho e perspectivas”.

O presidente Aquiles Dal Molin Junior destacou o momento bastante positivo no nível da atividade da construção civil, surpreendentemente alto em relação à expectativa, diante da pandemia. Segundo ele, o desempenho foi consequência do desejo de melhoria da qualidade de vida das pessoas, demonstrado pela maior busca de imóveis, além de outros fatores como taxas de juros atrativas, análises de crédito mais flexível e investidores que entendem o imóvel como investimento mais seguro no momento. “Acredito que vamos terminar 2020 com muitas possibilidades de ter um 2021 excelente”, afirmou Dal Molin Junior.

O presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção, José Carlos Martins destacou que hoje o governo entende que uma das formas de sair da crise é via construção civil. “A capilaridade de irrigar a economia é uma característica marcante do nosso setor”. Apesar do momento positivo de crescimento dos índices do mercado imobiliário, Martins ainda enxerga muitos desafios, mas também vê oportunidades. “Temos a reforma tributária, administrativa e o pacto federativo, para acompanhar de perto e lutar pelos interesses da nossa cadeia produtiva. Mas também enxergo oportunidades com o marco legal do saneamento básico e das PPPs, que vão aquecer o mercado. Cada dia mais acredito que somos a locomotiva que puxa a economia”, disse.

A economista Ieda Vasconcelos traçou um cenário econômico do setor, que indica que diante do conjunto de atividades do País, a construção teve a queda do PIB menor que a esperada. “Ficamos no patamar de 5,7%, enquanto nacionalmente esse número foi de quase de 10%. A construção contribuiu muito para que o Brasil não tivesse um desempenho pior”, disse.

Em se tratando da confiança dos empresários, uma pesquisa da sondagem da construção aponta pra a volta do otimismo. “No RS em junho e julho o setor registou saldo de admissões maior que demissões. E em Porto Alegre a construção civil foi o setor que mais gerou vagas na cidade. Os empresários projetam otimismo no setor e a intenção de investimento se confirma com números. Hoje ela está em 44 pontos, superior à média histórica de 34 pontos”, destacou Ieda, lembrando ainda que o grande desafio do setor é o aumento de preço dos materiais, com o INCC indicador de pressão forte de aumento de custos das obras.

A economista afirmou ainda que apesar do corona naturalmente ter gerado um baque na economia, com a queda de 9,7% do PIB, o Brasil não foi o país com o pior resultado, nem está entre os piores, comparado ao G20. “O Brasil está na 11º posição de resultado de retração do PIB. Os indicadores atuais já melhoraram, e a economia iniciou segundo semestre em alta”, concluiu.

O vice-presidente do Sinduscon-RS, Claudio Teitelbaum, como mediador da live, relatou o sucesso do Projeto Sinduscon-RS Lives, que iniciou em abril, no início da pandemia, com o objetivo de compartilhar informações sobre a construção civil e mercado imobiliário. Em 10 edições, foram abordados diversos assuntos, como economia, funding, contratos, mercado, produto, assuntos mais técnicos como inovação e tecnologia, sempre contando com convidados especiais e conteúdo qualificado para tentar ajudar de alguma forma as pessoas e empresas do setor, num momento tão complicado. A segunda temporada prevê novos debates em todas as terças-feiras, ás 19h.

Foi mediador do evento, também, o vice-presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), Ricardo Michelon. O dirigente salientou a importância do novo canal de comunicação (Sinduscon-RS Lives) que já atingiu 15 mil visualizações, facilitando a conexão com filiados de todo o RS, proporcionando um fantástico benchmarking às organizações da cadeia produtiva e às suas equipes. “As Lives, gravadas, já estão servindo de fonte de consulta para a sociedade como um todo”, concluiu.

O Sinduscon-RS Lives é uma realização do Sinduscon-RS com o apoio da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs), Serviço de Aprendizagem Industrial do Rio Grande do Sul (Senai-RS), Fida e CRZ. As edições gravadas podem ser acessadas aqui!

Leia Também

Deixe seu comentário