Sinduscon-RS entrega à prefeitura o relatório sobre Monumento “O Laçador”

O Sinduscon-RS e a Associação Sul Riograndense da Construção Civil entregaram à Prefeitura Municipal de Porto Alegre (PMPA), o relatório final com o apontamento dos problemas encontrados no Monumento “O Laçador”, e das intervenções necessárias.

O exame visual detalhado, realizado no período de 13 a 17 de março pelos especialistas em conservação e restauros, Virgínia Costa e Antoine Amarger,  permitiu concluir que os problemas para a conservação da obra são diversos e de natureza variada, envolvendo desde aspectos estruturais até a presença de fissuras, corrosões, concentração de água e soldas inadequadas em toda a estrutura. As intervenções são complexas, exigindo a remoção da escultura para local adequado.

Presente no evento, o coordenador da Memória Cultural (CMC), órgão da Secretaria da Cultura de Porto Alegre, Felipe Pimentel, afirmou que o Relatório será avaliado pelo Conselho Municipal do Patrimônio Histórico e Cultural (COMPAHC) para recomendações à Prefeitura quanto à viabilização da próxima etapa, no que diz respeito a prazos, custos e busca de recursos.  Segundo o vice-presidente do Sinduscon-RS, Zalmir Chwartzmann, na atual gestão da Entidade, uma das prioridades tem sido o comprometimento com a preservação da cultura do Estado. Este foi um princípio que norteou a instituição do Projeto Construção Cultural. A iniciativa, instituída pelo Sinduscon-RS em 2014, já atuou na conservação de 32 monumentos do Parque Farroupilha e em sua terceira edição o foco foi o diagnóstico do Laçador. “Com o aval da Prefeitura, pretendemos manter a parceria para buscar recursos às intervenções deste importante símbolo dos gaúchos. Neste sentido, o apoio do Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul  e do Governo do Estado, com verba incentivada, através do programa Pró Cultura – Lei de Incentivo à Cultura (LIC), bem como de nossas empresas patrocinadoras são essenciais”, explica. O dirigente ressalta ainda outro propósito da ação. “Que sirva de exemplo para o engajamento de outras entidades, empresas e pessoas da sociedade civil em movimentos que se preocupam com a memória e cultura de nossa cidade, nosso Estado”, concluiu.

Saiba mais!

Leia Também

Deixe seu comentário