Sondagem Indústria da Construção indica que o nível de atividade permanece em queda

Dados da Sondagem Indústria da Construção de fevereiro, promovida pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), com apoio da CBIC, indicam que as dificuldades enfrentadas pelo segmento da construção continuaram a aumentar.  De acordo com a pesquisa, tanto o nível de atividade quanto o número de empregados no setor da construção mantiveram tendência de queda na comparação com o mês anterior.

Pela Sondagem, o nível de atividade do setor encontra-se cada vez mais distante da normalidade. O índice de nível de atividade efetivo em relação ao usual atingiu novo piso histórico. A queda pôde ser observada em todos os portes e setores da indústria da construção. A utilização da capacidade da operação ficou em 60%, 9 pontos percentuais abaixo do registrado em fevereiro de 2014.

O pessimismo dos empresários também se intensificou. Em março de 2015, todos os índices de expectativas para os próximos seis meses mostraram novas quedas, o que afastou, ainda mais, os indicadores da linha divisória dos 50 pontos e os encaminhou, novamente, aos menores níveis de suas séries. Como consequência, o empresário mostra cada vez menos intenção de investir. A pesquisa foi realizada de 2 a 11 de março, junto a 600 empresas, sendo 191 de pequeno porte, 267 de médio porte e 142 de grande porte. Clique aqui para acessar a íntegra da Sondagem Indústria da Construção.

Leia Também

Deixe seu comentário