Custo da construção desacelera, mas variação é a maior dos últimos anos

Em média, materiais e equipamentos ficaram 20% mais caros em 2020

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC-M) medido pela Fundação Getúlio Vargas em sete capitais brasileiras apresentou variação de 0,88% em dezembro, o que significa uma desaceleração em relação aos três meses precedentes. Mesmo assim, o resultado é a quarta maior alta de 2020 e amplia o encarecimento das atividades do setor no ano passado, com variação de 8,66%.

Embora a maior contribuição para o INCC seja relativa à mão de obra (51,6% no ano passado), o grande vilão dos custos foi o grupo de materiais e equipamentos, que de janeiro a dezembro avançou 19,13%, com alguns insumos ficando até 50% mais caros, como é o caso dos condutores elétricos.

Em contrapartida, a mão de obra e os serviços – aluguel de máquinas e equipamentos, taxas de licenciamentos, vale transporte, vale refeição e serviços técnicos – tiveram variações menores do que em 2019, o que colaborou para conter a alta no custo da construção brasileira. Saiba mais! (Fonte: Smartus)

Leia Também

Deixe seu comentário