Obra de restauro do Monumento ao Expedicionário ganha projeto inédito de proteção

Monumento recebe envelopamento de andaimes fachadeiros para acesso aos trabalhos de restauro com reprodução real da obra. Técnica é inédita no Brasil.

Pela primeira vez, uma obra no Brasil ganha envelopamento integral (100%) de sua estrutura enquanto passa por reformas, tendo a sua imagem real reproduzida através de uma tela. Essa técnica utilizada no exterior, principalmente em obras de restauro, já pode ser vista no Parque Farroupilha em Porto Alegre.

Parte do projeto Construção Cultural pelos 65 anos do Sindicato das Indústrias da Construção Civil no Estado do Rio Grande do Sul (Sinduscon/RS), a obra de recuperação do Monumento ao Expedicionário tem sua imagem real reproduzida em uma tela de aproximadamente 650 metros², enquanto os trabalhos de restauro ocorrem. Ou seja, a técnica permite que as pessoas continuem visualizando o monumento, mesmo neste período de obras. “Como esse tipo de obra fica quase escondida pelos andaimes, esse recurso chega como alternativa para a população não deixar de visualizar seus grandes monumentos. É muito utilizado na Europa e agora estamos trazendo para o Brasil, que até então aplicava o processo em parte das reformas”, explica o vice-presidente da Entidade e coordenador do Projeto Cultural, Zalmir Chwartzmann. As telas ficam fixadas nas estruturas dos andaimes “fachadeiros”.

O Projeto, que o tem patrocínio do NEX Gruop e da Cyrela Goldsztein, ganhou um hotsite especial que traz informações completas sobre todas as ações, no endereço www.sinduscon-rs.com.br/construcao-cultural.

Leia Também

Deixe seu comentário