Tarso afirma que investimentos no RS dependem de um novo espaço fiscal

O governador Tarso Genro, candidato à reeleição, e o candidato ao Senado, Olívio Dutra, participaram, no dia 11 de agosto, de reunião-almoço no Sinduscon-RS.

Tarso iniciou sua palestra abordando as limitações de seu mandato com a crise financeira e estrutural que se arrasta há mais de 30 anos do Rio Grande do Sul. Segundo ele, mesmo assim 75% do proposto para o primeiro mandato foi cumprido. “Para as novas frentes é preciso que se abra um novo espaço fiscal, visando a captação de recursos para investimentos maciços, principalmente, nas áreas de saneamento e habitação”, salienta.

O presidente do Sinduscon-RS, Ricardo Antunes Sessegolo, apresentou na ocasião reinvindicações do setor da construção civil, que gera mais de 3 milhões de empregos no País e representa 5,4% do PIB Nacional. Entre estas, a aplicação da Lei 8.666, que dita que a celebração de contratos na administração pública deve ser por meio de licitação e que a dispensa é exceção, diferentemente do que tem ocorrido no atual mandato, que tem se utilizado substancialmente do Regime Diferenciado de Contratações (RDC). O candidato mostrou-se favorável, dependendo de entendimento com o Ministério Público e o Tribunal de Contas. Outras situações apontadas com relação à falta de estrutura da Fepam e do Corpo de Bombeiros, no que tange a licenciamentos, o Governador afirmou que serão trabalhados investimentos nestas esferas públicas ou até mesmo parcerias com municípios preparados. Também acatou a sugestão do setor de criar um banco de projetos. “Vamos encaminhar para a Assembleia Legislativa um projeto de lei que organize uma estrutura para isso”, disse. Questionados sobre a atuação da Brigada Militar na decisão judicial de desapropriação de terrenos privados invadidos, Tarso afirmou que irá cumprir a lei, mas que em paralelo tem que haver uma atuação com relação ao destino das famílias envolvidas.

Leia Também

Deixe seu comentário