Sinduscon-RS debate a aplicação da Norma de Desempenho das Edificações

Foi um sucesso o seminário promovido pelo Sinduscon-RS no dia 3 de abril em sua sede, em Porto Alegre, para debater a aplicação da NBR 15.575 da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) referente à Norma de Desempenho das Edificações, abrangendo desde a etapa de projeto, sistemas e componentes construtivos, execução das obras e orientações aos adquirentes das construções. O evento reuniu cerca de 250 empresários da construção civil gaúcha, executivos e técnicos, além de representantes de universidades. Durante todo o dia, sucederam-se conferencistas locais e de outros Estados que abordaram os diversos aspectos relacionados com o atendimento da norma.

O presidente do Sinduscon-RS, Ricardo Sessegolo, na abertura do Seminário, destacou que o elevado número de participantes do evento demonstra a conscientização das empresas gaúchas do setor para a adequada aplicação da Norma de Desempenho. Lembrou, ainda, que o RS está avançado neste processo, trabalhando em conjunto com universidades, através da instalação de laboratórios para testar materiais de construção, a exemplo do que vem sendo feito com na Unisinos, em São Leopoldo.

Completando seis anos desde sua publicação em maio de 2008, a Norma de Desempenho de Edificações, começou a valer em julho de 2013. Esta estabelece exigências de segurança, habitabilidade e sustentabilidade em imóveis residenciais. Pela primeira vez, associa-se a qualidade de produtos ao resultado que eles conferem ao consumidor, com instruções claras e transparentes de como fazer essa avaliação. As regras privilegiam benefícios ao consumidor e dividem responsabilidades entre fabricantes, projetistas, construtores e usuários.

Para o vice-presidente do Sinduscon-RS, coordenador da Comissão de Materiais, Tecnologia, Qualidade e Produtividade(COMAT) da Entidade, José Luiz Lima Lomando, o setor da construção está diante de um grande desafio. “Passamos por um momento que exige intensivo conhecimento em tecnologia e inovação, o que leva à capacitação de todos os agentes”. A Consultora Maria Angélica Covelo Silva, reforça as novas implicações, afirmando que estas vêm ao encontro da modernização do setor. “Cerca de 60% da Norma envolve projeto, com um grande envolvimento dos arquitetos e projetistas”, concluiu.

Leia Também

Deixe seu comentário