Seminário aborda a reformulação do Sinapi

O Sinduscon-RS, através da Comissão de Obras Públicas e Privadas,  com o apoio da Federação das Indústrias do estado do Rio Grande do Sul (FIERGS/SENAI), realizou no dia 24 de outubro, em sua sede, o seminário técnico sobre a Revisão do Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (SINAPI). Uma iniciativa da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) em parceria com o Senai Nacional e apoio da CAIXA.

Aberto pelo vice-presidente do Sinduscon-RS, José Luiz Lima Lomando, o evento contou com a participação do engenheiro e consultor da CBIC, Geraldo de Paula Eduardo, do gerente executivo do Sinapi na Caixa Econômica Federal, Mauro Fernando Martins, da Coordenadora do Sinapi/Caixa, Íris Luna Macedo, do vice-presidente do Sinduscon-RS, coordenador da Comissão de Obras Públicas e Privadas do Sinduscon-RS, José Paulo Grings, e  da engenheira orçamentista do Sinduscon-PE, Luciana Andrade, que passou uma visão da importância do Sinap, pelo foco empresarial.

Entre os mais de 70 participantes, estiveram presentes dirigentes e representantes do TCE, de secretarias estaduais e secretarias municipais, de universidades, de entidades empresariais e empresários da construção civil do Estado.

Geraldo de Paula explicou que desde 2009 a CBIC trabalha na revisão do Sinapi. O propósito da revisão foi eliminar problemas de origem. “O Sistema foi criado pela junção de outros sistemas não consistentes entre si”. “Com a revisão, o Sinapi ganhou qualidade. Está mais completo, claro, transparente e confiável, trazendo segurança para todos.”, explica Geraldo de Paula.

O Sinapi passa a ser referência na elaboração de orçamentos de obras contratadas com recursos do Orçamento Geral da União – OGU.  Após vencer uma primeira etapa, as entidades envolvidas no processo iniciaram um movimento de disseminação das mudanças. O evento finalizado com um debate, proporcionou aos participantes um maior entendimento sobre as melhorias do Sistema Sinapi e suas implicações positivas no mercado.

Leia Também

Deixe seu comentário